Menu


A DESCIDA DO ESPÍRITO SANTO - 2:1-4

24 SET 2018
24 de Setembro de 2018

Por: Pra. M. Amélia Pinheiro Calissi

PENTECOSTE:

Pentecoste era a segunda grande festa sagrada do ano judaico. A primeira grande festa era a páscoa. Cinquenta dias após esta, vinha a festa de Pentecoste, também chamada Festa das Colheitas, porque nela as primícias da sega de grãos eram oferecidas a Deus (cf. Lev. 23:17). Da mesma forma, o dia de Pentecoste simboliza, para a igreja, o início da colheita de almas para Deus neste mundo.

O livro de Atos tem sido chamado de "Livro do Espírito Santo".

Lucas, entre os quatro escritores do evangelho, foi quem deu maior ênfase ao Espírito Santo. O "vento" e o "fogo", ambos sinais familiares da presença de Deus, constituíam uma representação visual do ministério do Espírito Santo, no sentido de encher e preparar cada crente para um papel especial no ministério de Cristo. Alguns disseram que o vento simbolizava poder, e o fogo, pureza.

Falar em diversas línguas sublinhou o avanço universal da igreja, uma inversão da experiência de Babel (Gen. 11), onde as línguas foram confundidas para que as pessoas não mais pudessem compreender uma às outras. No Pentecostes, o milagre linguístico ("outras línguas") capacitou os visitantes da judeia, inclusive os judeus que não mais entendiam hebraico ou aramaico, a compreender a mensagem do evangelho.

A ocorrência foi tão extraordinária, que os crentes chegaram a ser acusados de estarem embriagados (At. 2:13). Esse dom do Espírito foi o cumprimento da promessa feita por Jesus (Jo. 14-16).

Comentários: Bíblia de Estudo Pentecostal e Bíblia de Estudo da Mulher

Voltar